Fortaleza, Quarta-feira, 23 Outubro 2019

Pesquisar

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Eventos e Destaques

Disque Assembleia

Login

         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Sexta, 31 Mai 2019 04:23

Governo precisa ter 'juízo' na reta final da tramitação da reforma, diz Marcelo Ramos no Ceará

Avalie este item
(0 votos)
O Governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) teve sua dose de contribuição no debate sobre a Previdência, mas atrapalhou também. Quem afirma é o presidente da Comissão Especial que discute o assunto na Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM). Nesta quinta-feira (30), em um esforço de regionalizar o debate sobre a reforma, ele esteve na Assembleia Legislativa do Ceará e afirmou esperar "juízo" do Palácio do Planalto na "reta final" da tramitação da proposta.   "Esse Governo age de pêndulos: em um dia, faz uma manifestação de sinalização de uma relação republicana e democrática com o Parlamento e, no dia seguinte, dá uma estocada, retomando um viés autoritário que é da tradição da atuação parlamentar do presidente da República. Portanto, acho que o Governo tem hora que ajuda, tem hora que atrapalha. Espero que tenha juízo de nessa reta final mais ajudar que atrapalhar", declarou.   O deputado veio ao Ceará a convite do deputado federal André Figueiredo (PDT) para participar de seminário sobre a Previdência. "Tenho circulado o Brasil porque a sociedade precisa se convencer da importância disso. O Brasil tem preconceito de falar de ajuste fiscal", considerou.   Segundo o parlamentar amazonense, há a expectativa de que, até o fim do próximo mês, a Comissão aprove o texto e encerre os trabalhos, mas isso depende de que o relator da matéria, Samuel Moreira (PSDB-SP), apresente parecer até o dia 13, e que o Governo faça sua parte na articulação em favor da reforma.   Ele acredita que, na Comissão, não devem haver maiores dificuldades em aprovar a matéria, desde que haja mudanças em pontos como a capitalização e a exclusão de mudanças na aposentadoria rural, regime previdenciário de professores e no Benefício de Prestação Continuada (BPC), pago a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda. Para Marcelo Ramos, essas mudanças ajudariam mesmo a conquistar os 308 votos que são necessários em plenário.   Presente no debate, o secretário de Planejamento do Estado, Mauro Filho, sustentou que o texto da reforma não traria impacto apenas às finanças da União, mas também aos estados. De acordo com ele, caso o projeto fosse aprovado como o Governo propôs, a expectativa seria de uma redução no déficit previdenciário do Estado, após dez anos, de R$ 500 milhões por ano. O secretário, que é deputado federal licenciado, entretanto, defendeu a necessidade de mudanças como as sugeridas por Marcelo Ramos.   Ele destacou, no entanto, que o Estado tem implantado sua própria reforma, com aumento da alíquota dos servidores estaduais e a implantação de programas de capitalização a partir de determinada faixa de renda.
Lido 306 vezes

Portal do Servidor

Eventos Outubro

Enquete

O Governo Federal vai garantir pagamento do 13º salário para beneficiários do programa Bolsa Família em 2019. Você concorda?

Governo precisa ter 'juízo' na reta final da tramitação da reforma, diz Marcelo Ramos no Ceará - QR Code Friendly


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500