Fortaleza, Sábado, 24 Outubro 2020

Pesquisar

Alcance ENEM

Combate COVID-19

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Eventos e Destaques

Disque Assembleia

Login

Dra. Silvana repudia decisão do STF de descriminalizar o aborto - QR Code Friendly
         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Quarta, 30 Novembro 2016 11:26

Dra. Silvana repudia decisão do STF de descriminalizar o aborto

Avalie este item
(1 Voto)
Dep. Dra Silvana (PMDB) Dep. Dra Silvana (PMDB) Foto: Máximo Moura
A deputada Dra. Silvana (PMDB) criticou, durante primeiro expediente da sessão plenária desta quarta-feira (30/11), a decisão tomada pela Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) de descriminalizar o aborto quando realizado no primeiro trimestre de gravidez.

Os magistrados analisaram a prisão preventiva de cinco médicos e funcionários de uma clínica de aborto. A decisão vale apenas para o caso específico, mas abre precedente na Corte para a descriminalização (fim da prisão) para mulheres ou médicos que realizam o aborto.
Três dos cinco ministros que compõem o colegiado consideraram que a interrupção da gravidez até o terceiro mês de gestação não configura crime.

Dra. Silvana informou que vai elaborar um documento, a ser votado no Plenário, com posicionamento contrário à decisão do Supremo. “Queremos dizer ao STF que três ministros não podem decidir a vida de toda a população e entendemos que a vida já existe quando o feto se forma”, defendeu. A deputada ainda avaliou que “não é papel deles (ministros) elaborarem leis, e sim interpretá-las”.

Para a deputada, a teoria utilizada pelos ministros de que o feto ainda não possui sistema nervoso desenvolvido até os três meses não é válida. Na opinião de Dra. Silvana, a vida inicia no encontro entre espermatozoide e óvulo. “A partir daí, os órgãos começam a se desenvolver, inclusive o sistema nervoso. Um aborto aos três meses elimina toda a perspectiva da vida”, criticou.

A parlamentar disse ainda que não abrirá precedentes para esse tipo de “crime” e lembrou o caso das crianças com microcefalia. “É muito mais fácil matar que fazer saneamento básico e impedir que as pessoas sejam infectadas pelo zika vírus”, afirmou.

Segundo Dra. Silvana, no dia 4 de dezembro, diversos movimentos estarão nas ruas em protesto contra a descriminalização do aborto e a extensão dessa medida às gestantes infectadas com o zika vírus.

A parlamentar também manifestou apoio à causa dos vaqueiros, presentes nas galerias da AL para assistir a audiência pública que irá debater a legalidade da vaquejada. “É um traço da nossa cultura e merece respeito”, defendeu.

Em aparte, os deputados Tomaz Holanda (PMDB), Fernanda Pessoa (PR) e Fernando Hugo (PP) manifestaram apoio aos vaqueiros presentes. Tomaz Holanda avaliou que os ministros do STF que proibiram a prática da vaquejada não entenderam que se trata de um traço da cultura do Nordeste.

Já Fernanda Pessoa lembrou que muitos sertanejos ganham a vida com essas manifestações. E Fernando Hugo considerou que a proibição das vaquejadas foi votada “irresponsavelmente em um ato sórdido de falta de comunicação com a região”. “Proíbem radicalmente a vaquejada, mas por que não fizeram o mesmo com os rodeios e corridas de boi do Sul do País?”, argumentou.

PE/GS

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 899 vezes Última modificação em Quarta, 30 Novembro 2016 15:00

Protocolo Digital

PROCON ALECE

Portal do Servidor

Eventos

Enquete

O presidente sancionou mudanças no Código de Trânsito Brasileiro que abrandam algumas penas e tornam outras mais duras, como o homicídio ocasionado por motorista embriagado. Você conhece as novas regras?


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500