Fortaleza, Sexta-feira, 06 Dezembro 2019

Pesquisar

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Eventos e Destaques

Disque Assembleia

Login

         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Terça, 20 Novembro 2018 12:15

Dra. Silvana comenta saída de Cuba do Programa Mais Médicos

Avalie este item
(0 votos)
Deputada Dra. Silvana Deputada Dra. Silvana Foto: Edson Júnior Pio
A deputada Dra. Silvana (PR) comemorou, durante o primeiro expediente da sessão plenária da Assembleia Legislativa desta terça-feira (20/11), a saída dos cubanos do programa “Mais Médicos”, após exigências do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). O programa existe desde 2013 e leva médicos para regiões onde há carência desses profissionais.

A parlamentar pontuou que Bolsonaro iria solicitar que os médicos cubanos fizessem o teste Revalida para continuar a atender no País. “Além do Revalida, Bolsonaro explicou que as famílias dos cubanos poderiam vir para o Brasil e que os médicos teriam liberdade para escolher entre Cuba e o Brasil, já que o Governo de Cuba não dá essa condição aos seus profissionais, o que é absurdo”, ressaltou.

Segundo a deputada, o fim da parceria do país caribenho com o Mais Médicos é uma libertação. “A ditadura de Cuba arrecadava com a exportação de médicos U$332 milhões de dólares mais do que arrecada com a exportação dos famosos charutos cubanos”, assinalou.

Dra Silvana explicou que o Brasil repassa para o Governo Cubano R$ 10 mil por mês por cada médico e que os profissionais cubanos recebem bem menos do que o repassado. “Os cubanos recebem por volta de mil dólares. O resto fica retido por Cuba. Isso é absurdo”, apontou.

A deputada enfatizou ainda que, além de financiar uma ditadura, o programa “Mais Médicos” não melhorou a saúde do povo do interior do Brasil. “Receitar chá não minimizou o sofrimento do povo. É preciso contratar médicos brasileiros com boa condições de trabalho e que conhecem a nossa medicina”, disse.

Em aparte, o deputado Fernando Hugo (PP) classificou o programa “Mais Médicos como “escravidão”. “Um médico vem trabalhar em outro país, não pode trazer a família e o governo fica com a maior parte do dinheiro que é pago para a mão de obra do profissional. Isso é escravidão. É um ultraje”, criticou.

O deputado Lucilvio Girão (PP) parabenizou o pronunciamento da parlamentar e disse que o presidente Bolsonaro “não expulsou os cubanos do Brasil”. “O Bolsonaro está querendo acabar com a escravidão de Cuba e com esse financiamento de uma ditadura”, defendeu.

GM/RM

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 463 vezes Última modificação em Terça, 20 Novembro 2018 16:55

Plano de Cargos

Portal do Servidor

Eventos

Enquete

Como você pretende usar o 13º salário?

Dra. Silvana comenta saída de Cuba do Programa Mais Médicos - QR Code Friendly


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500