Fortaleza, Quinta-feira, 22 Outubro 2020

Pesquisar

Alcance ENEM

Combate COVID-19

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Eventos e Destaques

Disque Assembleia

Login

Roseno aponta precarização do trabalho e elevação do desemprego - QR Code Friendly
         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Terça, 24 Setembro 2019 15:14

Roseno aponta precarização do trabalho e elevação do desemprego

Avalie este item
(0 votos)
Roseno aponta precarização do trabalho e elevação do desemprego foto : Júnior Pio
O deputado Renato Roseno (Psol) comentou, no tempo de explicações pessoais da sessão plenária, o resultado do estudo divulgado na semana passada, pela Coordenação de Planejamento e Negócios do Sine IDT, sobre a geração de empregos formais nos regimes intermitente e em tempo parcial no Ceará.

A pesquisa aponta, segundo o parlamentar, que, no Ceará, 67% dos empregos criados de novembro de 2017 a maio de 2019 eram intermitentes. Roseno ressaltou que o desemprego se mantém alto, e os empregos são de péssima qualidade. “Quem estava empregado até novembro foi demitido e foi reempregado com o salário menor. A média, que era de R$ 1.700, caiu para R$ 1.500”, argumentou.

O parlamentar lembrou que, em 2016, o então presidente, Michel Temer, afirmou que a aprovação da reforma trabalhista resultaria em uma geração de  três milhões de empregos. “Hoje vivemos permanente crise do mercado de trabalho e emprego. O desemprego não estava associado à proteção ao mundo do trabalho, mas à falta de investimento público, à financeirização da economia”,  apontou.

O deputado disse também que, em Fortaleza, foram criados 83% dos empregos nessa modalidade. Segundo ele, o trabalho intermitente é uma forma de pagar menor ao trabalhador. “Esse é o mais precarizado de todos, porque fica à disposição do patrão, podendo receber menos que o salário mínimo, sobretudo jovens, homens na construção civil e mulheres, que acabaram tendo empregos mais precários. Aconteceu o que dissemos: caiu salário, piorou a qualidade do emprego”, ressaltou.

Roseno concluiu informando que o Brasil está em 52º na taxa de proteção ao trabalhador. De acordo com ele, o resultado da pesquisa mostra que o problema não era o excesso de direitos. “Quem vive aqui da sua força de trabalho sabe que o Brasil não protege o trabalhador”, assinalou.

LV/CG

 

 

 

 

 

 

           

           

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 294 vezes Última modificação em Terça, 24 Setembro 2019 15:20

Protocolo Digital

PROCON ALECE

Portal do Servidor

Eventos

Enquete

O presidente sancionou mudanças no Código de Trânsito Brasileiro que abrandam algumas penas e tornam outras mais duras, como o homicídio ocasionado por motorista embriagado. Você conhece as novas regras?


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500