Fortaleza, Sábado, 16 Novembro 2019

Pesquisar

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Eventos e Destaques

Disque Assembleia

Login

         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Segunda, 23 Março 2015 16:27

Renato Roseno avalia as mudanças do novo Código de Processo Civil

Avalie este item
(0 votos)
Dep. Renato Roseno (PSOL) Dep. Renato Roseno (PSOL) Foto: Divulgação AL
 O deputado Renato Roseno (Psol), em entrevista à rádio FM Assembleia (96,7MHz), disse esperar que o novo Código de Processo Civil (CPC), sancionado pela presidente Dilma Rousseff, possa ajudar a diminuir e dar maior celeridade aos processos que tramitam durante décadas na Justiça. O parlamentar acredita que, a partir das mudanças no CPC, “exista mais conciliação e mediação de conflitos e menos judicialização”, observou.

Para Roseno, que também é advogado, recorrer a um Tribunal Superior é um direito da pessoa. “Às vezes, a pessoa perde em primeira instância uma causa, porque a comarca está contaminada pelos humores políticos locais”, ressaltou. “Assim, é importante se garantir o direito fundamental que a pessoa tem de recorrer em uma segunda instância, para que outro juiz possa avaliar seu caso”, acrescentou. Porém, o parlamentar defende a necessidade de haver mais diálogo, mas mediação, para que não se transforme todo tipo de conflito num novo processo judicial.

O novo CPC substitui a Lei 5.869/2013, que estava em vigor há 42 anos.  A nova lei tem mais de 1.000 artigos, que tratam de ações sobre divórcio, testamento, pensão, dívidas e indenizações. Pelo novo código, as causas passam a ser julgadas em ordem cronológica, com as mais antigas sendo logo julgadas. Outra mudança é o fim dos embargos infringentes (quando não há unanimidade na decisão do júri).

 

Segundo o Ministério da Justiça, tramitam mais de 100 milhões de ações na justiça brasileira, que passam em média 10 anos para ter o julgamento concluído. Para resolver esse problema, o texto cria “o instituto de resolução de demandas repetitivas”, para que ações iguais sejam julgadas de uma só vez.

O texto com as alterações aprovadas no Congresso Nacional e sancionado pela presidente passa a valer depois de um ano de sua publicação no Diário Oficial da União.
CE/CG

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 734 vezes Última modificação em Segunda, 23 Março 2015 16:41

Portal do Servidor

Eventos Novembro

Enquete

Senado Federal analisa mudanças na pena de condenadas grávidas ou mães com filhos até seis anos. Você concorda?

Renato Roseno avalia as mudanças do novo Código de Processo Civil  - QR Code Friendly


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500