Fortaleza, Segunda-feira, 23 Setembro 2019

Pesquisar

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Eventos e Destaques

Disque Assembleia

Login

         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Segunda, 10 Abril 2017 17:05

Qualificação e mais vagas para cearenses no Pecém são cobradas em audiência

Avalie este item
(0 votos)
Audiência Pública Audiência Pública Foto: Dario Gabriel
Sindicalistas de entidades de trabalhadores da construção civil e construção pesada pediram, em audiência pública nas comissões de Trabalho, Administração e Serviço Público e de Indústria, Comércio, Turismo e Serviço, na tarde desta segunda-feira (10/04), capacitação e mais vagas nas indústrias do Complexo Portuário do Pecém. O debate atendeu a requerimento do deputado Leonardo Araújo (PMDB).

O parlamentar ressaltou a importância da capacitação dos trabalhadores da região. “Não podemos permitir que o discurso de que não há mão de obra qualificada em nosso Estado permaneça por muito tempo. Se não há, vamos construir uma forma de transição e preparar os cidadãos para exercer funções nessas indústrias”, afirmou. Leonardo Araújo informou que vai sugerir projeto de indicação para garantir um percentual de vagas para cearenses nessas indústrias.

O vereador Marcelo Teles (PSDC), de São Gonçalo do Amarante, ressaltou que o Complexo Industrial e Portuário do Pecém surgiu com a promessa de trazer o progresso para o Ceará, contudo, a juventude da região não tem acesso ao mundo do trabalho, por carência de qualificação. “Todo ano, 600 jovens finalizam o ensino médio apenas em São Gonçalo do Amarante, sem falar nos municípios mais próximos ao Complexo”, reforçou.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplanagem em Geral no Estado do Ceará (Sintepav-CE), Raimundo Nonato Gomes, disse que, na construção das termelétricas do Pecém, foram empregados cerca de 60% de mão de obra local, enquanto a siderúrgica absorveu apenas 50% de empregados do Ceará. “Desde o início da implantação nos prometeram que a mão de obra seria basicamente 90% local. Mas eles contratam empresas de outros estados, que trazem seus empregados. O sindicato patronal deveria verificar essas empresas”, sugeriu Raimundo.

O diretor de Pesquisa e Relações de Trabalho do Sinduscon, Paulo Câmara Jataí, colocou que, por causa de seu alto custo, a mão de obra vinda de outros estados precisa ter diferencial. Segundo ele, o sindicato também vê com preocupação a falta de qualificação. “A tecnologia no mundo da construção civil evoluiu muito, e estamos defasados. Estamos atrasados cerca de 15 anos em relação a países mais desenvolvidos. A tecnologia implica produtividade do trabalhador e competitividade da empresa”, explicou.

De acordo com o coordenador de gestão empresarial da Companhia de Integração Portuária do Pecém (Cearáportos), Francisco Márcio Cavalcante Mamede, desde a implantação da empresa há acompanhamento sobre capacitação, que, para ele, precisa ser melhor e mais trabalhada. O coordenador citou a criação de um Grupo Técnico de Gestão de Desenvolvimento de Pessoas (GTDEP), em parceria com o Sine, para tornar a população apta ao trabalho nas empresas. Contudo, no decorrer do tempo, o grupo foi desfeito.

Atualmente, conforme Francisco Márcio, a Associação das Empresas do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Aecipp) mantém um grupo relacionado a gestão de pessoas. Ele citou ainda a criação do programa Jovem Portuário, que pretende capacitar jovens recém-saídos do ensino médio.

Também participaram da audiência pública o ex-gerente do Sine de São Gonçalo do Amarante, Antônio Holanda Filho; o assessor jurídico do Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada (Sinicon), Moacir Meyer de Albuquerque; o presidente do Movimento dos Trabalhadores Desempregados do Ceará, Luís César Santiago, e o presidente do Sindicato dos Técnicos em Segurança do Trabalho (Sintest-CE), Rosendo Sampaio.

LF/AP

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 757 vezes

Portal do Servidor

I SEMINÁRIO

Enquete

A proibição de canudos de plástico pode ajudar na preservação ambiental?

Sim, além de se jogar menos lixo plástico na natureza, tem um grande simbolismo e caráter educativo - 80.6%
Não, o impacto vai ser pequeno para a preservação e pode causar transtorno e prejuízo ao comércio - 19.4%
A votação para esta enquete foi encerrada em: %23 %b %2019 - %10:%Set
Qualificação e mais vagas para cearenses no Pecém são cobradas em audiência - QR Code Friendly


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500