Fortaleza, Sábado, 24 Agosto 2019

Pesquisar

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Eventos e Destaques

Disque Assembleia

Login

         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Sexta, 01 Março 2019 15:54

Brasilidade revive marchinhas de Carnaval das décadas de 1950, 60 e 70

Avalie este item
(0 votos)
O programa Brasilidade, da rádio FM Assembleia (96,7 MHz), recorda, neste domingo (03/03), as marchinhas de Carnaval das décadas de 1950, 1960 e 1970. Entre elas, os sucessos de Carmen Miranda e Dalva de Oliveira. 

Carmen Miranda, cantora e atriz brasileira, de nacionalidade portuguesa, mas radicada no Brasil desde os dez meses de idade, ficou conhecida como a Pequena Notável.

Sua carreira artística transcorreu no Brasil e Estados Unidos, entre as décadas de 1930 e 1950. Sonhando ser atriz, Carmen Miranda cantava e dançava para animar pequenas festas. Em 1929, foi apresentada ao compositor Josué de Barros, que a levou para se apresentar em teatros e clubes.

Ela estreou como cantora na Rádio Sociedade. Gravou seu primeiro disco com as músicas “Triste Jandaia” e “Iaiá, Ioiô”. Seu grande sucesso foi a "Pra Você Gostar de Mim", em 1930, que ficou conhecida por "Taí", escrita especialmente para ela por Joubert de Carvalho, que, na época, foi recorde de vendas.

Em 1939, Carmen Miranda participou da comédia-musical “Banana da Terra”, quando apareceu caracterizada de baiana, personagem que ela incorporou até o fim de sua vida. No musical, cantou a música “O Que é Que a Baiana Tem”, de Dorival Caymmi, que virou um clássico na voz da cantora. Carmen Miranda morreu em Beverly Hills, Califórnia, Estados Unidos, no dia 5 de agosto de 1955.

Já Dalva de Oliveira é nome artístico de Vicentina de Paula Oliveira, que  nasceu em Rio Claro, interior do estado de São Paulo, em 5 de maio de 1917. Em 1934, a família se mudou para o Rio de Janeiro. Em sua nova cidade, ela passou a frequentar o Cine Pátria, onde conheceu e logo namorou com Herivelto Martins, que, na época, trabalhava ao lado de Francisco Sena formando o dueto Preto e Branco.

Ela ingressou no grupo e passou a se apresentar como Dalva de Oliveira e dupla Preto e Branco. Em 1937, o grupo lançou O Trio de Ouro, nome dado por César Ladeira.

Com o trio, Dalva gravou diversas músicas de sucesso, entre elas: “Ceci e Peri”, “Batuque no Morro”, “Adeus Estácio”, “Lamento Negro” e “Lá na Mangueira”. Em 1950, Dalva retomou a carreira solo e, em 1951, lançou as músicas “Tudo Acabado”, “Olhos Verdes” e “Ave Maria do Morro”. Em 1952, recebeu o título de Rainha do Rádio. Dalva de Oliveira faleceu no Rio de Janeiro, no dia 30 de agosto de 1972.

Entre tantos cantores, o programa revive ainda sucessos de artistas como Elisete Cardoso, Quatro Ases e um Coringa, Zé Keti e Moacir Franco.

Com produção de Fátima Abreu e Ronaldo César e apresentação de Narcélio Limaverde, o Brasilidade vai ao ar aos domingos, às 18h. A reprise acontece às terças-feiras, às 23h.

LV/CG

 

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 587 vezes Última modificação em Sexta, 01 Março 2019 15:59

Portal do Servidor

Agosto Lilás

Enquete

Você utiliza o meio virtual para fazer negócios ou estudar?

Brasilidade revive marchinhas de Carnaval das décadas de 1950, 60 e 70 - QR Code Friendly


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500