Fortaleza, Quarta-feira, 30 Setembro 2020

Pesquisar

Alcance ENEM

Combate COVID-19

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Eventos e Destaques

Disque Assembleia

Login

Casa da Mulher Brasileira celebra um ano de atuação em solenidade na AL - QR Code Friendly
         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Segunda, 01 Julho 2019 18:09

Casa da Mulher Brasileira celebra um ano de atuação em solenidade na AL

Avalie este item
(0 votos)
Casa da Mulher Brasileira celebra um ano de atuação em solenidade na AL foto : Marcos Moura
O primeiro ano de atividades da Casa da Mulher Brasileira no Ceará foi celebrado em sessão solene, nesta segunda-feira (01/07), no Plenário 13 de Maio da Assembleia Legislativa. Em funcionamento desde junho de 2018, o equipamento possibilita o acolhimento e o encaminhamento da denúncia de forma ágil e especializada, prestando suporte às mulheres em situação de violência. A solenidade atendeu requerimento da procuradora Especial da Mulher na AL, deputada estadual Augusta Brito (PCdoB), subscrito pelo deputado Carlos Felipe (PCdoB).

 

Augusta Brito destacou a importância de haver um instrumento como a Casa da Mulher Brasileira, que oferece segurança para a mulher fazer sua denúncia, além de profissionais humanizadas e capacitadas para atendê-la. A parlamentar também apontou a necessidade de combater o machismo estrutural presente na sociedade. “O equipamento, por si só, não vai diminuir a violência. Ele vai, sim, dar uma qualidade para quem já sofreu a violência, mas a nossa preocupação não é só esse atendimento; é muito mais na prevenção para que não aconteça essa violência”, salientou.

Segundo o deputado Carlos Felipe, é preciso praticar a igualdade de gênero no dia a dia, pagando os mesmos salários a homens e mulheres e tratando da mesma forma filhos e filhas. “Na verdade, a gente vai mudar quando cada um de nós mudar essa história, e obviamente é uma história longa”.

A coordenadora geral da Casa da Mulher Brasileira no Estado do Ceará, Daciane Barreto, avaliou que a participação das mulheres no Parlamento Estadual ainda é bastante reduzida diante de tudo o que ocupam no mundo e no Brasil, mas disse não criticar as mulheres por estarem nessa situação. “Apenas 87 anos atrás foi nos dado o direito de votar, e agora querem que a gente tenha 50%, 60% de representação no Parlamento”, considerou. Daciane também destacou que o governador Camilo Santana comprometeu-se em construir quatro Casas da Mulher Brasileira no Ceará até o ano de 2022, colocando-se “positivamente na contramão da história”.

A secretária executiva de Política para as Mulheres da Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos do Ceará (SPS/CE), Denise Aguiar, destacou a força e a ousadia das mulheres que denunciam a violência que sofrem. “Por que as mulheres estão denunciando mais? Porque elas estão entendendo que elas têm um lugar onde serão amparadas”, explicou.

A vereadora de Fortaleza Larissa Gaspar (PPL) ressaltou o compromisso do governador Camilo Santana em inaugurar a Casa da Mulher Brasileira, mesmo diante de um contexto nacional desfavorável. Para a vereadora, o atual Governo Federal faz uso de um “discurso reducionista, ignorante e desrespeitoso” em relação às mulheres.

Já a presidente da União dos Vereadores do Ceará (UVC Mulher), vereadora Lívia Maia (DEM), chamou atenção para a situação das mulheres que vivem no interior do Ceará, onde há carência de políticas públicas voltadas para o combate à violência contra a mulher. “Nós ansiamos também para que seja implementada essa Casa da Mulher Brasileira no interior do Estado. Precisamos muito desse apoio e só vamos consegui-lo se todas nós, mulheres, estivermos juntas nesse propósito”, pontuou.

A coordenadora especial de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial do Estado do Ceará, Maria Zelma de Araújo Madeira, ressaltou o aumento da violência contra a mulher negra, que, segundo observou, “guarda raiz na escravidão, mas, mais do que isso, na recriação dessa escravidão".

Conforme a delegada titular da Delegacia de Defesa da Mulher de Fortaleza, Daniele Mendonça, uma sociedade mais justa e igualitária passa por uma sociedade em que os direitos das mulheres sejam garantidos. “Estamos à disposição de toda mulher que precisar de ajuda e de que o seu direito seja defendido”, pontuou.

O evento homenageou Daciane Barreto; Denise Aguiar; Maria de Lourdes Góes Araújo; a vice-governadora do Estado do Ceará, Izolda Cela; a titular da SPS/CE, Socorro França; a presidente da Cooperativa de Construção Humana Casa Lilás, Maria de Lourdes Góes Araújo; e as colaboradas da Casa da Mulher Brasileira, Sônia Cordeiro, Camila Silveira e Maria Darte de Sousa.

BD/LF

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 422 vezes

Protocolo Digital

PROCON ALECE

Portal do Servidor

Eventos

Enquete

Você concorda com a criação de novo tributo que compense gastos com programas sociais e a desoneração da folha de pagamento?


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500