Fortaleza, Terça-feira, 11 Agosto 2020

Pesquisar

Alcance ENEM

Combate COVID-19

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Eventos e Destaques

Disque Assembleia

Login

Projeto impede planos de saúde de suspender contratos durante pandemia - QR Code Friendly
         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Quinta, 18 Junho 2020 17:27

Projeto impede planos de saúde de suspender contratos durante pandemia

Avalie este item
(0 votos)
Projeto de lei em tramitação na Assembleia Legislativa quer impedir as operadoras de planos de saúde de suspender e/ou rescindir os contratos de prestação de serviços por falta de pagamento durante o período de vigência do Plano de Contingência do Novo Coronavírus (COVID – 19) da Secretaria de Estado da Saúde (SESA).

O projeto de lei n° 142/20, de autoria do deputado Evandro Leitão (PDT),  determina ainda que a proibição compreende também débitos relativos aos períodos anteriores ao início da vigência do Plano de Contingência e que, após o fim das restrições sanitárias, as operadoras de planos de saúde, antes de suspender e/ou rescindir os contratos por conta da inadimplência anterior a março de 2020, deverão possibilitar o parcelamento dos débitos pelo consumidor.

Além disso, a proposta também estabelece que o débito consolidado durante a pandemia não poderá ensejar a suspensão e/ou a rescisão do plano de saúde, devendo ser cobrado pelas vias próprias, sendo vedadas a cobrança de juros e multa. 

A matéria se aplica ainda aos micro empreendedores individuais (MEIs), às micro e pequenas empresas e aos optantes pelo regime de arrecadação de tributos denominado Simples Nacional, conforme a Lei Complementar Federal 123, de 14 de dezembro de 2006.

De acordo com o deputado, a crise financeira provocada pela pandemia do novo coronavírus atingiu toda sociedade civil, principalmente os trabalhadores que, em sua maioria, tiveram seus rendimentos diretamente afetados pela redução ou perda salarial. "​Muitos desses trabalhadores tem grande parte de sua renda comprometida com o pagamento das mensalidades de planos de saúde, que, sabido por todos, tem seus valores num patamar altíssimo", afirma.

Evandro Leitão reconhece que as operadoras de plano de saúde também estão sentindo os efeitos financeiros provocados pelo aumento no número de atendimentos hospitalares, mas, segundo ele,  as operadoras possuem alternativas para compensação deste impacto, como a Provisão para Eventos Ocorridos e não Avisados (Peona), um fundo reservado para situações excepcionais na ordem de R$ 15 bilhões, que pode ser liberado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

"Estamos num momento em que os esforços para amenizar os impactos provocados pela pandemia do novo coronavírus devam estender-se, inclusive, na redução dos elevados custos com a saúde privada, ou, ao menos, na mitigação dos efeitos decorrentes da eventual inadimplência dos pagamentos das mensalidades enquanto perdurar o Plano de Contingência adotado em decorrência da pandemia pelo coronavírus (COVID-19)", defende.

WR/CG

   

 

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 466 vezes Última modificação em Quinta, 18 Junho 2020 18:13

Protocolo Digital

PROCON ALECE

Portal do Servidor

Eventos

Enquete

As condições para garantir a atuação da mulher na política são satisfatórias?


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500