Fortaleza, Quarta-feira, 08 Dezembro 2021

Pesquisar

Alcance ENEM

Alece 2030

Processo Virtual

Processo Virtual - VDOC

Legislação

Projetos / Cursos

Publicações

Login

Mandetta critica ações no combate à pandemia em entrevista ao Conexão Assembleia - QR Code Friendly
         Comunicação AL TV Assembleia FM Assembleia Banco de Imagens Previsão do Tempo Contatos
Segunda, 04 Outubro 2021 11:45

Mandetta critica ações no combate à pandemia em entrevista ao Conexão Assembleia Destaque

Avalie este item
(1 Voto)
Conexão Assembleia, conversou Luiz Henrique Mandetta Conexão Assembleia, conversou Luiz Henrique Mandetta Foto: Paulo Rocha
O Conexão Assembleia, programa da rádio FM Assembleia (96,7MHz), conversou, nesta segunda-feira (04/10), com o primeiro ministro da Saúde do Governo Bolsonaro a enfrentar a pandemia de Covid-19, Luiz Henrique Mandetta, que falou dos desdobramentos da doença no Brasil e os seus impactos nas demais áreas da sociedade.

O médico, que esteve no comando da pasta de janeiro de 2019 a abril de 2020, comentou sobre as primeiras medidas tomadas em relação ao vírus no Brasil. “A gente só tinha uma informação: existe um vírus novo. Nos primeiros 45 dias, a gente ficou prestando atenção. Quando a Itália caiu na doença foi quando o ocidente acordou e a gente percebeu que nenhum sistema de saúde no mundo estava pronto. Eu queria tomar as decisões baseadas na ciência. O primeiro movimento era o movimento de cautela, observar os casos, adquirir testes que não estavam disponíveis no mercado e adquirir leitos”, destacou.

O ex-ministro lamentou a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na administração da pandemia e as suas divergências. “Eles passaram a acreditar na imunidade de rebanho, o que foi muito ruim porque eles queriam pegar atalhos. As 600 mil mortes me afastam do Bolsonaro. Passaram a não negociar com vacinas que saíram na frente, como a Pfizer, como a vacina da Moderna, como a Janssen", pontuou. De acordo com  médico, deixaram os testes comprados estragarem, e. "como espectador, assistir a tudo isso foi extremamente duro vendo a tragédia anunciada".

Mandetta explicou ainda que a saída para a pandemia estava na aquisição e aplicação de vacinas. “A vacina erradicou inúmeras doenças. O século XX é o século da vacina. A gente trata as bactérias com remédios, os vermes com vermífugos. O fato de não ter adquirido vacina é um problema. A gente teria começado a vacinar em dezembro. Nós chegamos a um mês que tivemos 4,5 mil óbitos por dia, era como se caíssem 15 aviões por dia no Brasil”, pontuou.

Celebrar o efeito adverso de uma vacina é um problema extremamente grave, quando se trata de um líder que precisa conduzir a nação, segundo Mandetta. “O presidente jogou contra a vacina. Ele comemorou no dia que a vacina do Butantã teve um efeito adverso. A gente precisa de um líder quando se tem um problema grave, alguém que precisa conduzir. Eles fizeram uma conta do auxílio que a doença duraria de três a quatro meses e todo mundo pegaria a doença. O presidente aglomerar, passar a andar sem máscara, e dessa forma, eles não precisariam tomar vacina.”

Mandetta falou ainda sobre os demais problemas que a pandemia trouxe para a realidade brasileira, como evasão escolar. “O número de mulheres que deixou de fazer mamografia nesses dois anos gera um número adiantado de casos de câncer de mama, de pessoas que vão fazer quimioterapia nas unidades de saúde. Na educação, 50% dos jovens do ensino médio não voltam para a sala de aula”, analisou.

Questionado sobre o surgimento de variantes ao redor do mundo, Mandetta alertou para a preocupação e a necessidade de um controle coletivo. “Essas variantes são como uma loteria perversa, toda vez que ele entra dentro de um organismo ele sai diferente, são variantes que começam a afetar mais. Se vier uma variante que engane o sistema imunológico dos vacinados, a gente pode voltar para a estaca zero”.

Mandetta falou ainda da importância da vacinação em massa e periódica para o controle da pandemia. “Essa vacina não é uma estratégia individual, ela é uma estratégia para você fazer um bloqueio para que o vírus tenha menos chance de circular. O Brasil deveria agora estar encomendando doses do ano que vem para fazer uma vacinação típica àquela da gripe. Essa vacinação a conta-gotas que está acontecendo desde fevereiro é como se estivéssemos com um cobertor curto.”

Pré-candidato à Presidência da República,  o ex-ministro avaliou também na entrevista a fusão entre os partidos como alternativa para as eleições de 2022.

Conexão Assembleia é um programa multiplataforma da rádio FM Assembleia (96,7MHz), transmitido nas redes sociais da Assembleia Legislativa do Ceará, no YouTube e no Facebook, às segundas-feiras, a partir das 8h. A produção é veiculada também na TV Assembleia, nas segundas-feiras, às 20h30, e fica disponível no podcast da emissora. Basta procurar o canal nas principais plataformas de áudio, como Spotify, Deezer, Apple Podcasts e Google Podcasts.

Apresentado pela jornalista, Kézya Diniz, conta com produção de Layanna Vasconcelos e Tarciana Campos; direção de vídeo de Rodrigo Lima; coordenação de programação e áudio, Ronaldo César e supervisão do gerente geral da rádio FM Assembleia, Rafael Luis Azevedo.

JI/AT

Informações adicionais

  • Fonte: Agência de Notícias da Assembleia Legislativa
  • E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • Twitter: @Assembleia_CE
Lido 288 vezes Última modificação em Segunda, 04 Outubro 2021 15:43

Protocolo Digital

PROCON ALECE

Portal do Servidor

Eventos


 

  30ª Legislatura - Assembleia Legislativa do Ceará                                                                         Siga-nos:

  Av. Desembargador Moreira, 2807 - Bairro: Dionísio Torres - CEP: 60.170-900 

  Fone: (85) 3277.2500